domingo, 25 de novembro de 2012

Professor da UFBa inicia movimento contra volta de aluno que abusou sexualmente de meninos

A decisão da Justiça Federal de reintegrar o aluno Diogo Nogueira Moreira Lima, 25 anos, à  Faculdade de Medicina da Universidade Federal da Bahia (Famed/Ufba), abriu uma polêmica na instituição. O estudante passou quase três anos internado no Hospital de Custódia e Tratamento (HCT) por ter abusado sexualmente de 12 garotos. A decisão da juíza Lílian da Costa Tourinho saiu no último dia 9. O professor José  Tavares Neto iniciou uma ação  para convencer os colegas a não dar aulas a Diogo. Segundo ele, sua decisão tem base em preocupações científicas. “Não tenho nada pessoal contra ele. Mas esse é um tipo de crime que tem elevada taxa de reincidência”, acrescenta. Na decisão a qual A TARDE teve acesso, a juíza justifica ter considerado dois requisitos em favor de Diogo: perigo de que o processo  para garantir a matrícula  se torne ineficaz, devido à demora, e a garantia do acesso de todo cidadão à educação. A defesa de Diogo argumenta que ele, ainda sob internação no HCT, formulou pedido de permanência no curso. Sua matrícula estava estipulada para os dias  12 e 14 deste mês,  mas, até a data da decisão da juíza, não houve resposta dos setores administrativos da Ufba. Leia mais no A Tarde.

Reações:

0 comentários:

Postar um comentário

.

.