quinta-feira, 26 de abril de 2012

Omissão do PT é prova de que não devemos eleger o mesmo partido nas três esferas, diz Lúcio

O presidente estadual do PMDB, Lúcio Vieira Lima, comentou a postura do governo petista em relação à greve dos professores. “A falta de negociação com o funcionalismo público é a marca desse governo. Eles são intransigentes e não negociam. O governador alegou que não tinha dinheiro para dar aumento aos professores, mas se não tinha dinheiro para pagar deveria dizer isso antes de assinar o acordo com a categoria. O que não pode assinar acordo e não cumprir”. Lúcio também lembrou a ausência do deputado Nelson Pelegrino, pré-candidato petista ao palácio Thomé de Souza, nos movimentos de classe na Bahia. “Ele está sendo omisso. Essa é uma prova de que em uma democracia, nós não devemos eleger pessoas do mesmo partido para as três esferas do governo. Aconteceu a mesma coisa com o Planserv, com a greve da Polícia Militar e está acontecendo agora com os professores. Imagine se ele for eleito, como ele vai contestar o governador que é do mesmo partido?”, alfinetou. (Emerson Nunes)

Reações:

0 comentários:

Postar um comentário

.

.