quinta-feira, 14 de fevereiro de 2013

Bento 16 pede a cardeais "verdadeira renovação" da Igreja Católica

O papa Bento 16 pediu nesta quinta-feira uma verdadeira renovação da Igreja Católica, após uma reunião com o clero no Vaticano. O encontro acontece quatro dias após o pontífice anunciar sua renúncia ao posto, na segunda (11).
Em discurso durante a reunião com cardeais, ele defendeu que sejam mantidas as metas do Concílio Vaticano 2º e que a renovação da instituição se mantenha.

Os bispos auxiliares da diocese e as centenas de sacerdotes lhe receberam com aplausos, vivas ao papa e outras mostras de carinho. O papa Ratzinger entrou apoiado em um bastão, enquanto os aplausos se misturaram com o canto "Tu sei Petrus" (Tu és Pedro).
Ele respondeu com um largo sorriso e dando várias vezes obrigado pelas mostras de carinho e uma vez sentado, detrás de uma mesa, falará com eles, sem texto previsto.
O pontífice agradeceu o afeto e o amor demonstrado pelo clero durante seus quase oito anos de pontificado. "Mesmo me retirando, estarei sempre perto de todos vocês na oração, e vocês estarão perto de mim, apesar de eu estar escondido do mundo".
Por sua vez, o vigário-geral de Roma, Agostino Vallini, saudou o pontífice e o elogiou, chamando-o de exemplo de vida. "Santo Padre, durante estes anos o senhor sempre nos pediu para o acompanharmos com a oração e, nestes dias difíceis, o pedido se tornou mais urgente", disse o cardeal.
A reunião com os sacerdotes da diocese de Roma já estava marcada, mas adquiriu um significado maior por ser a última vez que Bento 16 se pronunciará como papa antes de sua renúncia, no próximo dia 28.
Na quarta (13), Bento 16 disse que a divisão no clero e a falta de unidade "desfiguram o rosto da Igreja" e pediu a superação de "individualismos e rivalidades" durante a Quaresma, o período cristão compreendido entre a quarta-feira de Cinzas e a Páscoa.
Sobre o assunto, o pontífice disse que Jesus denunciou a "hipocrisia religiosa, o comportamento de que buscam o aplauso e a aprovação do público". "O verdadeiro discípulo não serve a si mesmo ou ao público, mas ao Senhor, de maneira singela, simples e generosa".
O papa acrescentou nesse encontro público que é "ciente" da "importância" do fato, mas também de "não ser capaz de promover o Ministério de Pedro com a força física e o espírito que ele requer".
O pontífice reconheceu que estes são dias "nada fáceis" para ele, mas que notou "quase fisicamente a força da prece do amor da Igreja".
Bento 16 se retirará no próximo domingo durante uma semana para exercícios espirituais, que terminarão no dia 23. Durante esse período, o papa não vai realizar atos públicos.

Reações:

0 comentários:

Postar um comentário

.

.