quinta-feira, 7 de janeiro de 2016

Lula depõe em inquérito que investiga venda de medidas provisórias durante gestões petistas

ABr110913MCSP_6285O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva depôs, nesta quarta-feira (6), no inquérito da Operação Zelotes que apura o esquema de lobby e pagamento de propinas para viabilizar medidas provisórias benéficas ao setor automobilístico. De acordo com matéria do jornal O Globo publicada nesta quinta-feira (7), o inquérito investiga, ainda, pagamentos feitos à LFT Marketing Esportivo, empresa de Luís Cláudio Lula da Silva, filho do petista.
As principais perguntas enviadas pelo Ministério Público Federal e formuladas ao ex-presidente durante a oitiva giraram em torno da compra das MPs 471/2009, 512/2010 – editadas na gestão de Lula – e da MP 627/2013, aprovada já na administração de Dilma Rousseff.
A empresa de Luis Cláudio recebeu R$ 2,5 milhões da Marcondes e Mautoni, uma das empresas denunciadas na Zelotes, cujos donos estão presos de forma preventiva. Do total de 16 incriminados, sete estão presos. Entre eles está o lobista Alexandre Paes dos Santos, conhecido como APS. Em sua defesa à Justiça Federal, ele afirmou que, durante o governo de Lula, os escritórios SGR Consultoria e a Marcondes e Mautoni foram contratados para fazer lobby pela aprovação da MP 471, que concedia benefícios fiscais a montadoras, de acordo com matéria da Folha de São Paulo. O ex-ministro e ex-chefe de gabinete de Lula, Gilberto Carvalho, afirmou em depoimento que intermediou reuniões entre Mauro Marcondes, responsável pela Marcondes e Mautoni, e Lula.
A Receita Federal estima que R$ 879,5 milhões foram perdidos com corrupção e pede a reparação deste valor aos cofres públicos.

Reações:

0 comentários:

Postar um comentário

.

.