sexta-feira, 15 de fevereiro de 2013

Nilo promete reduzir férias de deputados, cortar ponto dos faltosos e se nega a divulgar salários de servidores


O presidente da Assembleia Legislativa, deputado Marcelo Nilo (PDT) falou sobre as prioridades da casa, depois de dois meses de recesso. Nilo afirmou que espera postura independente e harmônica da Casa com o governo “cada um administrando os seus problemas com independência e responsabilidade”. Marcelo Nilo fez questão de frisar que pretende discutir a redução de quase dois meses de férias dos funcionários para 30 dias. “Vou apresentar um projeto e colocar para votar um projeto que reduza para 30 dias as férias. A ideia é que o mandato se encerre ao invés de 15 de dezembro, termine 30 de dezembro e comece 1 de fevereiro, ao invés de 15 de fevereiro”.
Sobre a divulgação do valor dos salários dos deputados e servidores da Assembleia Legislativa, medida baseada na Lei de Acesso à Informação, que ainda não foram informadas na internet, Nilo desconversou. “Estou aguardando a decisão judicial, porque particularmente eu sou contra a divulgação dos salários dos funcionários na internet. Não é justo que a pessoa esteja trabalhando durante 30 anos, concursado na Assembleia, e a sociedade vá saber quanto ele ganha. Se a justiça obrigar eu coloco. Eu sou favorável a divulgar o salário dos deputados. Mas eu acho uma coisa constrangedora divulgar o salário do servidor enquanto o rapaz que lava o carro dele ganha um salário mínimo”, frisou.
Marcelo Nilo negou que os custos em torno de R$ 300 milhões da Assembleia Legislativa sejam considerados altos. “Nós somos a segunda mais austera do país e em termos de gastos, nós somos a terceira mais austera”. Também garantiu “cortar os pontos dos funcionários faltosos”.

Reações:

0 comentários:

Postar um comentário

.

.