sexta-feira, 5 de dezembro de 2014

BRASIL: Oposição tem que se sustentar, defende Serra


Senador eleito por São Paulo, José Serra (PSDB)
O senador eleito por São Paulo, José Serra (PSDB), disse na noite de ontem, em apresentação informal a uma plateia de apoiadores, que a oposição precisa se firmar se quiser ter chances de vencer o PT em 2018. Ele admitiu que o PSDB falhou no papel de opositor do PT nos últimos 12 anos e avaliou que é preciso manter a postura firme desse período pós-eleição, inclusive com críticas à proposta de política econômica com a entrada de Joaquim Levy no Ministério da Fazenda. “Para começo de conversa, talvez agora a gente faça oposição. Mas isso vai ter que se sustentar, inclusive na política econômica. Porque com o Joaquim Levy já tem muita gente dizendo: ‘Porque agora vão fazer o que a gente ia fazer e tal…’ Não é. Isso eu posso te garantir”, disse ao ser questionado pela plateia sobre o futuro da oposição. Serra argumentou que Levy adotará receituário semelhante ao adotado por Henrique Meirelles durante o governo Luiz Inácio Lula da Silva. O senador disse que a gestão Meirelles no Banco Central foi e é muito elogiada pela oposição, inclusive pelo PSDB, de forma equivocada. “Está cheio de gente na economia elogiando a política do Meirelles, uma política desastrosa. O maior erro de política econômica isolado na história moderna brasileira foi feito naquele período”, disse Serra. “A estratégia Meirelles, que supostamente é o que passaria a ser aplicado agora, é uma estratégia que não funciona, que é chutar juros para cima. Isso permite a entrada de dinheiro e vai empurrando com a barriga, para financiar o déficit em conta corrente”, afirmou na apresentação. “Essa estratégia não tem impacto, ela não vai ser aplicada no Brasil. Se for, vai ser um estouro, essa é que é a verdade”, completou.
Ana Fernandes, Estadão Conteúdo

Reações:

0 comentários:

Postar um comentário

.

.