quarta-feira, 28 de junho de 2017

BRASIL: Jutahy diz que culpa da crise política “é exclusivamente de Temer”


O deputado federal Jutahy Magalhães Jr. (PSDB) atribuiu ao presidente Michel Temer (PMDB) a ‘culpa exclusiva’ pelo aprofundamento da crise política. Em entrevista à Rádio Metrópole, o tucano afirmou que Temer “não podia ter recebido Joesley e ter tido a conversa que teve”. “Isso é indefensável. Mas temos que avaliar as condições jurídicas se esse ato que ele praticou é suficiente para afastá-lo da presidência”, declarou o membro da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara. Jutahy também comentou a situação do PSDB, que continua na base governista. “Temos o ministro Imbassahy, um interlocutor do presidente Temer. Temos o presidente do partido na Bahia, João Gualberto, que é um dos maiores defensores do Fora Temer. Temos duas pessoas com posições antagônicas. Mas todos temos a compreensão de fazer o melhor para o Brasil. Alguns acham que apoiar Temer traz estabilidade econômica. E outros acham que ele perdeu todas as condições éticas, morais. Mas essa é uma questão que será superada rapidamente”. O tucano disse, ainda que não se arrepende de ter votado a favor do impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff (PT) e frisou que o país passa por ‘uma crise sem precedentes’. “É a primeira vez que um presidente é denunciado por corrupção, e um presidente que é fruto de um impeachment. Votei no impeachment e não me arrependo. Era impossível sairmos do buraco econômico em que estávamos. O impeachment foi um processo longo, passamos meses defendendo a abertura de um processo. Já havia a avaliação pessoal e política de que a presidente Dilma precisava sair. E tudo isso fez o processo chegar à CCJ. Quando chegou lá, já sabia que era preciso haver o impeachment”. Sobre o voto no processo contra Temer, Jutahy afirmou que ‘não será voto partidário, mas técnico”. “Meu voto não terá nada a ver de ser governo ou de oposição, nem do PSDB”, pontuou.

Reações:

0 comentários:

Postar um comentário

.

.